segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Crônicas de Amor e Ódio – Vol. 1 – The Kiss of Deception

Nunca me vi sem palavras para falar sobre um livro, e raras obras mexeram tanto com minhas emoções. Essa história, repleta de poesia e magia, virou meu mundo de cabeça para baixo. Lia e relia os parágrafos e adiava o virar das páginas, pois não queria chegar ao final, embora ansiasse por conhecer seu desfecho.





Mesmo assim, percorri suas 409 páginas em um piscar de olhos. E, quando alcancei as linhas finais, queria recomeçar a leitura. É o tipo da história que eu desejaria contar em voz alta, ao redor de uma fogueira, compartilhar suas curvas, nuances, surpresas, pois a autora gerou uma trama tão intensa que não poderia caber em um só coração.

Eu ri, chorei, roí as unhas, me emocionei e, no meio da história, meu queixo caiu. Geralmente eu adivinho o que vai acontecer nos livros, filmes, séries e novelas. Chega até a ser chato. Mas não em Crônicas de Amor e Ódio.

Quando achei que tinha encontrado o fio da história e que a travessia seria tranquila, uau! A trama dá tamanha guinada que cheguei a ficar atordoada. Descubro, de repente, que nada, nem ninguém, é o que parece ser e, a partir daí, uma nova jornada se inicia.

Desde o início o leitor sabe que não está diante de um conto de fadas, embora a protagonista seja uma princesa. Mas de forma alguma Lia se comporta como alguém da realeza. Destinada pela família a se casar com um príncipe que jamais teve a oportunidade de conhecer, ela se revolta e, seguindo os impulsos de sua natureza rebelde, foge poucas horas antes da cerimônia.

Lia leva consigo apenas o sonho de conhecer uma terra nova, onde ela seja apenas uma simples garota de 17 anos, e não a Primeira Filha da Casa de Morrrighan, fadada a selar a paz entre dois reinos. A jovem acredita não ter o Dom, algo que se exigia das Primeiras Filhas. Porém, na verdade, ela descobre, ao longo de sua jornada, que jamais soube o que era realmente o Dom.



Morrighan era uma jovem líder dos Remanescentes, aquela que os guiou para uma espécie de terra prometida após a quase destruição de seu mundo. Ela deu início a gerações de sucessoras, mulheres que supostamente deveriam ter o mesmo Dom da ancestral de Lia.

É a esse universo sobrecarregado de tradições que Lia deveria pertencer, mas a princesa acredita não se encaixar neste contexto. Algo em si a leva a rejeitar sua missão, mas ao partir na companhia de Pauline, sua dama de companhia e melhor amiga, ela leva também, quase sem querer, dois obscuros livros, escritos em um idioma estranho.

A princípio, parecia apenas um ato de vingança contra o Erudito, um dos membros do Conselho do Rei, que não ocultava seu ódio pela princesa. Mas, à medida que vai decifrando sua mensagem, originária de terras distantes, do Reino de Venda, berço de povos bárbaros, Lia começa a compreender um pouco melhor as tradições e qual o seu verdadeiro papel nessa história.

Porém, enquanto busca a si mesma e crê estar realizando seus sonhos em Terravin, ela não imagina que o Príncipe de Dalbreck, intrigado com sua decisão inesperada, decidiu seguir seus passos e tentar entender quem era aquela garota que ousava abandoná-lo no momento do casamento.

Enquanto isso, nem Lia, nem o Príncipe, sequer suspeitam de que um temerário assassino também foi enviado por Venda para encontrar a princesa. E nenhum dos três, ao traçar seus planos, poderia contar com a interferência das armadilhas do coração em seus caminhos.

Embora os personagens masculinos sejam fascinantes e sedutores, a força feminina prepondera nos meandros desta história. Não só a de Lia, mas a de suas ancestrais - Morrighan, Gaudrel, Venda – e também a de suas companheiras de jornada. O leitor logo percebe que a fragilidade de Pauline é mera ilusão e outras guerreiras cruzarão igualmente os caminhos da protagonista, surpreendendo por sua força e determinação.

É através dos relatos ancestrais que o leitor conhece o passado dos povos de Morrighan, Dalbreck e Venda. A autora intercala a trama com trechos de Os Últimos Testemunhos de Gaudrel, o Livro dos Textos Sagrados de Morrighan e A Canção de Venda. Aliás, Mary Pearson vai além; um pouco como Tolkien, de O Senhor dos Anéis, ela cria o idioma de Venda, algo que realmente me impressionou. A trama principal, por sua vez, é narrada sob três pontos de vista, o de Lia, o do Príncipe e o do Assassino, o que é fantástico, pois nos permite saber o que se passa no interior de cada um deles.

O trabalho da editora dá o toque final nesta obra genial. A edição em capa dura, que traduz com perfeição a atmosfera da história; a diagramação; o mapa do universo fantástico estruturado pela autora, e outras pequenas surpresas, revelam o trabalho impecável da Dark Side Books.




Mary E. Pearson é uma premiada autora que vive no sul da Califórnia. Ela já é reconhecida por seus sete livros destinados ao público juvenil — entre eles a série The Jenna Fox Chronicles -, e é graduada em artes pela Long Beach State University, além de ser mestre pela San Diego State University.

Apaixonada pela missão de ser mãe, ela ama caminhar, cozinhar e viajar por lugares desconhecidos. Hoje Mary escreve em tempo integral e reside em San Diego, ao lado de seu marido e de seus dois cachorros. 

Ah! Em tempo! O segundo volume, The Heart of Betrayal, será lançado no final de outubro. E já está em pré-venda.


Editora: Dark Side Books
Autora: Mary E. Pearson
Origem: Nacional
Edição: 1ª
409 Páginas
Preço: R$ 30,70
Capa: Brochura
Formato: Médio



segunda-feira, 25 de julho de 2016

O que Dory faria?


Dory é um dos personagens que mais se destacam na animação Procurando Nemo. Tanto que ela conquistou o privilégio de protagonizar sua própria história no já famoso Procurando Dory. Para os que desconhecem esta trama, aí vai. Dory sofre de perda de memória recente. Mesmo assim, ajudou o pai do peixinho Nemo a encontrar seu filho, perdido na vastidão do oceano.





Agora, Dory começa a ter lampejos de sua infância e da própria família. E, mesmo sem saber nem por onde começar, consciente de que, a cada instante, esquecerá esses flashes, voltando a mergulhar no sombrio universo do esquecimento, ela decide ir atrás de seu sonho, mesmo contra a vontade de Marlin, que bem conhece os perigos do oceano e, apesar da operação resgate de seu filho, ainda não se libertou de seus medos.

Apesar do pavor de enfrentar uma nova jornada mar afora, Marlin e seu filho Nemo não abandonam a amiga e a seguem nessa aventura incerta. Afinal, alguém precisa sempre estar ao lado de Dory, para relembrar sua missão. A cada passo dessa travessia, Dory segue lembrando-se de novos momentos do passado e, logo em seguida, esquecendo-os.

Mas em momento algum Dory pensa em desistir, apesar de suas limitações. Ao contrário, ela parece transformar seus limites em uma força cada vez maior. Quando se vê sem saída, logo se lembra de algo que seus pais lhe ensinaram: sempre há outro caminho, outra solução.

Enquanto isso, os antigos e novos amigos começam a se espelhar em seu comportamento. E, quando estão perdidos, sem saber como agir, logo se perguntam: o que Dory faria? Ao se questionarem dessa maneira, o que estão fazendo? Ouvindo sua intuição, sua sabedoria interior.

Essa é a bússola que guia Dory na direção de sua família. Ela mesma não tem consciência de que age dessa forma, é algo natural, inato na peixinha. Até que Marlin lhe confessa que aprendeu, nos momentos difíceis, a seguir seu exemplo.

Então, quando a própria Dory parece definitivamente perdida, em um momento crítico de sua jornada, ela pára, respira fundo e se pergunta: o que a Dory faria? Nesse instante, os caminhos parecem se abrir, se iluminar, as respostas emergem, e aí, basta segui-las.

Com Dory é possível aprender que em cada ser há uma luz interior; basta encontrar o interruptor. Ao ativá-lo, a consciência se ilumina e, assim, organiza suas emoções e percepções, conferindo coragem e determinação. Essas experiências são marcantes e inesquecíveis, até para alguém com perda de memória recente.


Trailer  







sexta-feira, 1 de julho de 2016

Terras dos Encantados - Alegoria Vertiginosa

Pense em uma trama que se passa em dois universos interligados, entre humanos e seres fantásticos, mas não ambientado em uma era medieval, e sim em um mundo tecnológico, à beira de um evento apocalíptico. Pois bem, esse é o cenário do livro Terras dos Encantados, da autora Ana Santana.


Neste clima, que oscila entre a fantasia e a distopia, personagens fascinantes e marcantes questionam velhos estereótipos, principalmente conceitos como herói e vilão. Aqui nada nem ninguém é o que parece ser. E em cada página prepondera a presença feminina, e até a Divindade que rege este universo distingue-se por certa androginia. 


A trama mescla seres mágicos, humanos dotados de poderes psíquicos, criaturas sombrias, inimigos charmosos, corporativistas gananciosos, cientistas geniais, entidades ancestrais.


Nina cresceu nas Terras dos Encantados, sob a pressão de estranha profecia. Alane, um sacerdote druida, ajudou a desenvolver seus dons. Lorena é filha adotiva de cientistas obcecados pela produção da antimatéria. Cética, acreditava apenas no poder da Ciência.

Às vésperas de um aniversário de 17 anos que modificará radicalmente suas vidas, conflitos sanguinários ameaçam destruir seus mundos. Nesse redemoinho, os pais de Lorena desaparecem; para salvá-los, ela precisa atravessar as fronteiras entre as duas dimensões. É quando os caminhos de Nina e Lorena se cruzam.

Porém, o passado delas se confunde com a aurora dos tempos, quando Humanos e Encantados conviviam na mesma dimensão. Até que alguns se rebelaram contra o Sagrado. Então, Espíritos Sombrios, liderados por Mordrin, dominaram a mente dos mais fracos.




Na luta contra as trevas, houve uma ruptura entre homens e seres mágicos. Agora a mesma história parece se repetir. Um misterioso líder humano, Abahai Bian, se une aos Espíritos Sombrios, que ressurgem das cinzas, provocando o caos nos dois mundos.

Herdeiras desses antigos fantasmas, as jovens partem em busca do Livro do Futuro. Este misterioso manuscrito pode ser a chave para salvar os dois mundos. Para encontrá-lo, Nina, Lorena e seus aliados compõem a Jornada do Círculo e passam a seguir misteriosas pistas legadas por seus ancestrais.

Porém, para alcançarem a vitória, deverão não apenas derrotar os seres das trevas, mas também as sombras que ameaçam dominar suas próprias almas. E, se vencerem, restará decifrar um último enigma. O Livro do Futuro salvará realmente os Humanos e os Encantados? Ou será apenas mais uma arma nas mãos dos inimigos? 


Esta alegoria fantástica, pontilhada por temas de natureza política e espiritualista, questiona o mundo em que vivemos, desde o sistema político-econômico até a inovação tecnológica vertiginosa e suas consequências no meio ambiente, passando pelas dúvidas e dilemas da adolescência, mergulhada em um universo marcado pela intolerância e pelos preconceitos.


Nina, a protagonista, é uma personagem forte, bem elaborada, e transita naturalmente por um enredo que prima pela fluidez. A trama, sem dúvida, está bem amarrada, e evolui aos poucos, intensificando-se cada vez mais, a ponto de engajar tanto o leitor, que ele se esquece do mundo a sua volta e mergulha de cabeça neste universo arrebatador. A trama cativa de tal forma, que é impossível deixá-la de lado sem antes alcançar seu desenlace.




Faço minhas as palavras da escritora Ana Cláudia Marques:


“Leitora fiel e apaixonada de literatura fantástica, desde Alice até Harry Potter, Ana Santana tem a maestria com as palavras como sua aliada, nos fazendo duvidar de nossa própria realidade.”

Proponho então: mergulhem nessa jornada pelas Terras dos Encantados. Vocês não vão se arrepender!




Editora: Astronauta
Autora: Ana Santana
Origem: Nacional
Ebook disponível na Amazon: http://goo.gl/93Pywk
Produção: Tiago Soriano
351 Páginas
Preço: R$ 14,90

 




quarta-feira, 25 de maio de 2016

Pequenos Valentes


É sempre um risco escrever histórias infantis. Em minha opinião, é o gênero literário mais difícil, pois requer não só o conhecimento e a prática de várias técnicas, mas também e principalmente o dom de combiná-las na medida ideal. É algo quase mágico, e Michelli, sem dúvida, tem esse raro talento.


Ela mescla palavras, ritmos e encantamentos em seu caldeirão muito particular e o resultado é essa obra sedutora, Pequenos Valentes, que atrai pequenos e adultos. A autora criou um texto ao mesmo tempo saboroso e poético, que engaja desde o início o leitor.

Nesta trama os irmãos Lúcia e Luan, criados pelo avô Merlin Catarino, alimentam o sonho de viver aventuras extraordinárias. Através das lições ensinadas pelo mago, eles descobrem que na Montanha Vira-Tempo há uma passagem secreta que permite a intrépidos aventureiros viajar para outras eras.
Destemidos e iludidos pelos atrativos de terras desconhecidas, os irmãos partem em busca da realização de seus sonhos. Na bagagem, eles levam um presente do vovô, duas sacolinhas de couro que abrigam em seu interior um precioso pó mágico produzido pelas fadas do bosque.

Assim, enfrentando monstros e florestas sombrias, eles mergulham em uma jornada perigosa. Luan segue rumo ao passado, pois nada o seduz mais que ser um herói medieval. Lúcia, por sua vez, viaja para o futuro, ansiosa para desvendar as modernidades humanas. Mal eles sabem que o maior risco mora em seus próprios corações.


 De forma delicada, Michelli tece uma história emocionante e transmite uma mensagem inesquecível. Com essa intenção, a autora evoca várias referências literárias, desde o mago Merlin, das lendárias crônicas do Rei Artur, até o domínio das máquinas, previsto pelos clássicos da ficção científica, passando pelas aventuras medievais, povoadas por cavaleiros, dragões e monstros ferozes.


Além disso, a combinação de texto e imagens é perfeita. A cada página o leitor tem a oportunidade de viajar pela história tanto pelas palavras quanto pelas ilustrações de Elias Aleixo Dahlke, igualmente arrebatadoras. Sem dúvidas, vale a leitura.


Michelli Mortari é graduada em Direito, mas suas leituras preferidas são as fantasias, sua maior paixão desde a infância. Mas na literatura ela descobriu algo mais, sua autêntica vocação. Ela estreou nessa trajetória com O Rei do Morro, uma obra para adultos. Agora, se aventura em uma trilha ainda mais arriscada, o universo das histórias infantis.




Elias Aleixo Dahlke é curitibano e iniciou sua carreira artística mergulhando no mundo das aquarelas. Depois de conhecer o universo virtual, aderiu de pronto às ilustrações digitais. Hoje conta com mais de 20 anos de profissão e ampla experiência no Mercado Editorial.




Editora: Mais Que Palavras

Autora: Michelli Mortari

Origem: Nacional

Edição: 1ª

24 Páginas

Preço: R$ 5,70

Capa: Brochura



quarta-feira, 9 de março de 2016

#Mulheresdaliteratura


Desde a aurora dos tempos as mulheres se destacam entre os contadores de histórias. 




Clarice Lispector
Guerreiras e frágeis, destemidas e românticas. Não importa. Elas enfrentam sociedades e governos, famílias e amigos, preconceitos e intolerâncias. Mais que seus nomes, elas deixam gravadas suas mensagens  e emoções em páginas imortais. 




Virginia Woolf
Da poetisa grega Safo à poesia das norte-americanas Emily Dickinson e Sylvia Plath, passando pelos poemas das brasileiras Ana Cristina César e Cora Coralina. 







J K Rowling
Dos contos e romances de Clarice Lispector e Lia Luft ao universo fantástico de J. K. Rowling, criadora do ícone Harry Potter, e ao mundo distópico de Suzanne Collins, autora da trilogia Jogos Vorazes. Sem falar na dimensão fantástica de Virginia Woolf. 




Poderia passar décadas citando autoras que nos guiam pela esfera dos sonhos e da imaginação. As protagonistas de meu livro, Terras dos Encantados - A Jornada do Círculo, inspiram-se em cada uma delas e em muitas outras. 





Nessa Semana da Mulher, não poderia deixar de reverenciar minhas musas. A elas, minha eterna gratidão. 

quinta-feira, 3 de março de 2016

Editora Fundamento - A Quinta Onda



Estou muito feliz em ser parceira de uma editora tão maneira como a Fundamento. E começar com o livro A Quinta Onda é com certeza um privilégio. Em breve, postarei uma resenha desse livro aqui. E prometo falar também sobre o filme. 





A Fundamento tem plena convicção de que adquirir conhecimento é  essencial para o crescimento humano e para a formação dos valores de cada ser. Ela também publicou obras de muito sucesso para o público adulto, livros que logo viraram best sellers. Uma Breve História do Mundo (mais de 150 semanas na lista da Veja), Criando Meninos (mais de 55 semanas na Veja), Quem Pensa Enriquece (mais de 40 semanas na Veja), Investimentos (# 1 na Exame e na Época). 


Sua missão é editar e publicar livros úteis na aquisição de conhecimento, de de aplicação prática e que valorizem o crescimento humano.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Evento Extraordinário - Parceria









O ebook Terras dos Encantados - A Jornada do Círculo convida blogueiros e booktubers para serem seus parceiros nesta jornada mágica. Preparem-se para uma aventura repleta de batalhas épicas! Os blogs e canais interessados nessa parceria devem enviar um e mail para ninhalu5@gmail.com até dia 29 de fevereiro. 

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Prosa Encantada: Terra dos Encantados – De Andante a Prestíssimo

Prosa Encantada: Terra dos Encantados – De Andante a Prestíssimo: A autora, poeta, blogueira e leitora beta Ana Cláudia Marques leu Terras dos Encantados – A Jornada do Círculo. O resultado é esta resenha...

Bia Penha lança Azul

A poeta Bia Penha lança seu primeiro livro nas versões livro-objeto e impressa


Autora autografa dia 23 de fevereiro, na Livraria Blooks do Shopping Frei Caneca a partir das 18h30 





Bia Penha lança o livro de poesias Azul, que reúne poesias inspiradas em todos os seus ‘eus’, produzidas ao longo de seus 43 anos.

Bia põe no papel muitas facetas de uma mesma pessoa e retrata um pouco do que cada um carrega em si:  loucura, dor, amor, superação, e diversos sentimentos. “Este  AZUL é feito de “verdades secretas”, que de tão secretas, tornam-se nossas também. A poesia de Bia é costurada no tempo e em cicatrizes, que delicadamente bordam sua “dor de carne sem osso”, afirma a escritora Maice Rocha Glaser no prefácio do livro. 

LIVRO TAMBÉM É OBRA DE ARTE

O livro Azul é lançado em duas versões: a impressa, como todos conhecem, e uma versão diferenciada, que traz o conceito de obra de arte. É que Bia decidiu lançar um livro-objeto com tiragem numerada com apenas 30 unidades.

As imagens de capa do impresso e do livro-objeto são do fotógrafo Maurício Nahas; a direção de arte de ambas as versões é assinada por Leo Macias, premiado diretor de arte em Cannes com 17 leões, atualmente na DM9DDB. É dono da apArt Private Gallery.


"Conseguir verbalizar situações humanas flagradas em contida dor e pungência: talvez seja essa a característica mais vincada de Azul de Bia Penha. Exemplo? “Com flechas e sem alvo” (p.67). Isso é Poesia."
Adelia Bezerra de Meneses
Professora Doutora em Teoria Literária e Literatura comparada (USP)


"Duas coisas me atraem neste AZUL de Bia Penha. A primeira: ela resolveu mostrar a cara. A segunda: ela consegue entrelaçar vapor e chumbo (ou fumaça e alegria, como diz, toda vez que entra (ou cai) no estado poético – que, aliás, ela descobriu ainda menina, quando colecionava pensamentos.
Na lírica deste AZUL, a dor amansada logo se ilumina ao primeiro raiar da alegria. O que era fixo se mexe, procura outros roteiros, os contrários se entendem e prosseguem juntos."

Roberto Gambini
Analista junguiano (autor de A Voz e o Tempo, Prêmio Jabuti 2009)

Sobre a autora

Bia Penha nasceu no dia 5 de janeiro de 1972, em Morro Agudo, interior de São Paulo. Morou em Cambridge, onde estudou inglês. Foi gerente de projetos na IBC – International Business Communication, multinacional inglesa. É graduada em Publicidade e Propaganda, com Pós-Graduação em Marketing, participou de Oficinas Literárias na Casa do Saber e trabalhou como voluntária em um projeto do terceiro setor direcionado à melhoria da educação.

Sobre a editora

Sediada em São Paulo, a Futurama Editora é uma empresa que se norteia na dinâmica e inovação, preocupada em oferecer aos seus clientes serviços de alta qualidade, utilizando sempre os mais modernos recursos tecnológicos disponíveis no mercado, operados por uma equipe de profissionais de alta eficiência. Atua em todo território nacional, especializada na produção de materiais gráficos, traz como carro chefe a publicação e lançamento de livros, tendo como diferencial a qualidade de impressão e o melhor custo-benefício, atrelado a um atendimento especializado e personalizado. 

Com o intuito de fomentar a prática da leitura e da escrita, a Futurama foi criada com o objetivo de enaltecer o público do mundo literário, principalmente os escritores independentes, que recebem da Editora todo o suporte necessário para a difusão de sua obra, com a confecção de tiragem pequena, a partir de 50 exemplares, até uma tiragem grande.



Lançamento do livro Azul - Poesias de Bia Penha

Dia 23/02/2016
Livraria Blooks
Shopping Frei Caneca
R. Frei Caneca, 569 – 3º Piso - Consolação

Livro-objeto (apenas 30 unidades)
R$ 2.750,00
Dimensão: 30cm de diâmetro por 6 cm de altura
À venda na apArt Private Gallery www.apartprivategallery.com/homee na Livraria da Vila do Shopping JK Iguatemi

Livro impresso
À venda na Livraria da Vila, Blooks e Editora Futurama – www.futuramaeditrora.com.br
118 páginas
R$69,00

Informações para a imprensa

Parceria 6 Assessoria de Comunicação

(11) 3081-1260 | 3062-9951
Jéssica Mendes | jessica@parceria6.com.br
Antoune Nakkhle | parceria6@parceria6.com.br


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Terra dos Encantados – De Andante a Prestíssimo


A autora, poeta, blogueira e leitora beta Ana Cláudia Marques leu Terras dos Encantados – A Jornada do Círculo. O resultado é esta resenha essencial e estimulante. 




Imagine-se em meio a uma trama que englobe seres fantásticos e humanos, o que há de mais novo em tecnologia e espiritualidade. Terra dos Encantados nos convida a entrar exatamente nesta realidade fantástica, pelas mãos da autora Ana Santana.

Quando entrei em contato com a história fui obrigada a lê-la do início ao fim até de madrugada. Culpei a autora, obviamente, pela noite insone e bem aproveitada, vivendo uma aventura fantástica entre fadas, anjos, humanos, bruxas, elfos, druidas e muito mais.

Se este livro fosse uma música, diria que ele começa andante, e ao longo dos primeiros capítulos, a fim de que entremos em contato com os personagens, o ritmo torna-se allegro ma non tropo.Quando os personagens se prontificam para a aventura que se inicia, porém, é a hora em que se esquece de tomar água ou do sono: o ritmo da aventura pode ser descrito como allegro vivace, e pouco a pouco se intensifica, culminando num prestíssimo.

Leitora fiel e apaixonada de literatura fantástica, desde Alice até Harry Potter, Ana Santana tem a maestria com as palavras como sua aliada, nos fazendo duvidar de nossa própria realidade.

E fica aqui minha pergunta: o que é a realidade? Shakespeare já nos deixou a pista: “há mais mistérios entre o céu e a terra do que pode sonhar a nossa vá filosofia.” Embarque na realidade de Terra dos Encantados.


Onde encontrar: